Receita de Bolo de Banana | Nutridicas

Fizemos essa receita de bolo na escola para os pequenos. Ficou uma delícia!!

O bolo é saboroso, simples de fazer e uma boa dica de lanche saudável. Acompanhem a receita.

INGREDIENTES

  • 3 ovos inteiros
  • 3 bananas médias
  • 2 xícaras de farinha de rosca
  • 2 xícaras de açúcar
  • 1 colher rasa de óleo
  • 2 colheres de sopa de fermento para bolo

UNTAR A FORMA
Canela em pó + açúcar.

TEMPO DE DURAÇÃO: de 30 a 40 minutos.

Primeiramente, bater os ovos com o açúcar.
Em seguida, acrescentar a farinha de rosca, o óleo e o fermento.

Bom Apetite!
Com carinho,
Tia Nívea.

Sugestões de Lanches | Nutridicas

Muitos pais, ao prepararem o lanche de seus filhos, colocam comidas com baixo ou nenhum valor nutricional. Pensando nisso, resolvemos sugerir alimentos que, além de serem deliciosos, são fundamentais para o desenvolvimento infantil.

  • Lanches nutritivos para as crianças levarem para a escola.

    Lanches nutritivos para as crianças levarem para a escola.

    Frutas (maçã, pêra, mamão, banana, morango, melão, manga, ameixa vermelha, etc.)

  • Bolo caseiro (simples, cenoura, laranja)
  • Bisnaguinha com requeijão
  • Bisnaguinha com queijo, presunto e pepino
  • Sanduíche com frios e alface
  • Pão de queijo
  • Rosquinhas polvilho doce
  • Rosquinhas polvilho salgado
  • Pizza caseira (sardinha, legumes)

Sugestões da nossa nutricionista Nívea Padilha.

Coca-Cola Brasileira é a pior do mundo, diz análises.

Quando o assunto é nutrição, nenhum refrigerante faz parte dessa categoria e a Coca-cola é um dos piores do mundo. E, no Brasil, é a pior das Coca-colas! Mas qual é mesmo a diferença entre elas? Dentre algumas substâncias que são colocadas em menor ou maior quantidade, existe uma específica que está chamando a atenção dos pesquisadores chamada de 4-metil-imidazol (ou 4-MI), uma substância cancerígena usada em sua fórmula.

Coca-Cola no Brasil é a pior do mundo.

Coca-Cola no Brasil é a pior do mundo.

Análises feitas pelo Center for Science in the Public Interest (CSPI) comprovou que a versão brasileira do refrigerante é a mais ‘carregada’ de 4-MI. Para se ter uma noção, enquanto que na Califórnia é utilizada 4mcg (microgramas), no Brasil são adicionadas 267mcg na proporção de uma lata (350ml).

Até mesmo no Quênia, segundo país colocado no ranking, utiliza-se de um pouco mais da metade – 177mcg.

O alerta serve pra que nós consumidores tenhamos ainda mais consciência daquilo que estamos ingerindo e devemos prevenir nossa família dos graves riscos à saúde.

Fonte: http://www.gizmodo.com.br/analise-revela-que-coca-cola-brasileira-tem-maior-concentracao-de-substancia-cancerigena/

A Educação Alimentar começa em casa | Nutridicas

Os pais devem comer junto e estimular a criança a gostar de alimentos saudáveis.

Os pais devem comer junto e estimular a criança a gostar de alimentos saudáveis.

Comida costuma ser um tema de preocupação recorrente para os pais. Ou porque o filho não quer comer, ou porque come demais, e frequentemente alimentos pouco ou nada saudáveis. No último caso, os grandes vilões são os alimentos consumidos fora de casa. Independente da idade, os pais devem sempre procurar dar o exemplo e orientar a escolha dos filhos.

Segundo estudos, a partir dos 8 ou 9 anos, são capazes de dizerem o que preferem comer num mesmo grupo de alimentos, por exemplo entre cenoura e beterraba.

Se é na infância que o hábito alimentar se forma, a criança deve escolher com a variedade que lhe é oferecida em casa. O que deve ser evitado, é dar-lhe o direito de escolha no supermercado, onde as opções não saudáveis são as que mais despertarão a atenção dos pequenos. Quando a criança tem contato com frutas e vegetais de uma forma geral desde cedo, e sem a obrigação de comer, será muito mais fácil a aceitação desses alimentos.

A vontade da criança em alimentar-se sozinha surge de forma gradual. É a curiosidade e o desejo de explorar o novo. A dica é ter sempre opções de alimentos saudáveis de um mesmo grupo (frutas e verduras), para que a criança escolha sem abrir mão daquele tipo de alimento.

Um fator importante é garantir um ambiente agradável em torno das refeições para que haja uma ‘atmosfera’ positiva, sem distrações. Os pais devem comer junto e estimular a criança a gostar desses alimentos saudáveis, de forma gradativa, para que a criança aprenda a identificar as suas cores e sabores, por isso eles devem ser organizados no prato, sem misturá-los e em pequenas porções.

Adaptação da matéria da Revista Viva Saúde pela nossa consultora nutricional Nivea Padilha.

Intolerância à lactose | Nutridicas

As pessoas com intolerância à lactose não conseguem digerir o açúcar natural presente no leite e nos laticínios

As pessoas com intolerância à lactose não conseguem digerir o açúcar natural presente no leite e nos laticínios

A intolerância à lactose é um problema que se torna mais comum com o avanço da idade. Os sintomas gerais são diarreias, produção excessiva de gases, cólicas, distensão abdominal e desconforto, além de náuseas e vômitos.

As pessoas com intolerância à lactose não conseguem digerir o açúcar natural presente no leite e nos laticínios e apresentam na verdade a ausência da enzima lactase. A enzima lactase é responsável por transformar, nos intestinos, a lactose nos açúcares glicose e galactose, que são facilmente absorvidos pela parede intestinal. Se essa enzima estiver ausente, a lactose não absorvida fermenta no intestino grosso e produz todos os sintomas dolorosos.

Existem exames laboratoriais, de sangue ou mesmo análise do DNA, que podem confirmar a produção insuficiente da enzima lactase.

Atualmente, são conhecidos três tipos de intolerância: a causada por um defeito genético, mais rara e de ocorrência em recém-nascidos; aquela  na qual há uma deficiência temporária na produção da enzima, comum no primeiro ano do bebê, e a que ocorre ao longo da vida, chamada de deficiência primária, causada por uma tendência natural à diminuição da produção da lactase.

O importante é procurar tratamento o mais rápido possível, através de um médico gastroenterologista e um nutricionista.

Geralmente, os sintomas podem ser aliviados ao se eliminar a lactose da alimentação.

É importante não esquecer que deve se evitar todo o tipo de laticínio, como leite e derivados. Além disso, o médico pode sugerir a ingestão de suplementos de lactase sob a forma de líquido ou cápsulas.

Adaptação do texto Quando o leite é o inimigo, do Hospital Albert Einstein pela nossa nutricionista Nivea Padilha